Palavras em inglês que têm a mesma pronúncia e significados diferentes

Algo essencial para evoluir sua prática com um novo idioma é adquirir vocabulário. Quanto mais rico, mais fácil fica a comunicação. Na sua busca por novas palavras na língua inglesa você irá se deparar com várias delas que são homófonas, ou seja, possuem a mesma pronúncia, mas a forma de as escrever e os significados são diferentes.

No português podemos muitos exemplos, como cauda (rabo) e calda (líquido doce), cerrar (fechar, terminar) e serrar (cortar com serra), houve (verbo haver) e ouve (verbo ouvir), entre tantos outros. Assim fica mais fácil de entender, certo?

Você verá abaixo alguns exemplos de palavras homófonas em inglês e as dicas para não se esquecer ou se confundir são: se atente ao significado, não decore; treine a escrita de cada delas para compreender as diferenças; tente as inserir em frases para completar o sentido.

Confira abaixo:

Palavras que melhoram a fluência no inglês

A junção de vários detalhes linguísticos conseguem indicar o nível de fluência que você tem na língua inglesa, principalmente o quão natural sua fala soa. Todo idioma possui termos que, quando utilizados, te aproximam da forma como os nativos se comunicam no cotidiano. Neste artigo vamos te apresentar as palavras de ligação!

Também chamadas de conectivos, essas palavras são utilizadas justamente para relacionar frases. Elas podem te ajudar a adicionar ou contrapor ideias, indicar uma causa, introduzir um assunto, entre outras funções. Nós as utilizamos o tempo todo enquanto falamos em português, por isso, será muito fácil de as entender e aplicar no inglês.

A seguir, listamos exemplos em português e inglês para você perceber como é fácil de usar. Selecionamos as mais úteis para você já colocar em prática!

 

  • Conectivos de adição

Inserem e conectam uma ideia à outra.

Besides = além disso

Ex.: She won’t mind if you’re late – besides, it’s not your fault. / (Ela não se importará se você estiver atrasado – além disso, nem é sua culpa).

Actually = na verdade

Ex.: Actually- “I did a test on Monday” Actually, it was on Tuesday. / (Eu fiz um teste na segunda. Na verdade, foi na terça).

Not only = não apenas

Ex.: Not only did he turn up late, he also forgot his books. / (Ele não apenas chegou tarde, como também esqueceu os livros).

Anyway = de qualquer forma

Ex.: I don’t need a car and I don’t have money to buy one anyway. / (Eu não tenho um carro e eu não tenho dinheiro para comprar um de qualquer forma).

 

  • Conectivos de introdução

Antecedem uma ideia ou introduzem outra relacionada ao assunto.

First / First of all = primeiro / primeiro de tudo

Ex.: First, make sure you have all the ingredients. / (Primeiro, tenha certeza que você tem todos os ingredientes).

By the way = a propósito

Ex.: By the way, Jeff called this afternoon and he wants you to call him back. / (A propósito, Jeff ligou essa tarde e ele quer que você ligue para ele de volta).

 

  • Conectivos de oposição

Indicam que a próxima ideia contradiz a atual.

Instead of = ao invés de

Ex.: Instead of complaining, why don’t we try to change things? / (Ao invés de reclamar, porque você não tenta mudar as coisas?)

In spite of = apesar de

Ex.: In spite of the storm, the plane landed safely. / (Apesar da tempestade, o avião pousou em segurança).

However = contudo

Ex.: Mining is a highly profitable industry. However,  there are certain risks involved. / (Mineração é uma industria altamente lucrativa. Contudo, há certos riscos envolvidos).

Even so = mesmo assim

Ex.: I had a terrible headache, but even so I went to the concert. / (Eu tive uma dor de cabeça terrível, mas mesmo assim eu fui ao show).

On the other hand = por outro lado

Ex.: My husband likes classical music. I, on the other hand, like all kinds. / (Meu marido gosta de música clássica. Eu, por outro lado, gosto de todos os tipos).

 

  • Conectivos de causa

Explicam e/ou dão razão para alguma circunstância.

Because = porque

Ex.: I almost missed my flight, because there was a terrible traffic jam on the way to the airport. / (Eu quase perdi o meu vôo, porque havia um congestionamento terrível no caminho para o aeroporto)

Due to = devido a

Ex.: He almost died due to lack of oxygen. / (Ele quase morreu devido a falta de oxigênio).

 

  • Conectivos de consequência

Indicam o resultado ou finalidade de uma ação.

In order to = a fim de

Ex.: We all need time in order to do our best work. / (Nós todos precisamos de tempo a fim de fazermos o nosso melhor trabalho).

So that = de maneira que

Ex.: I’ll go by car so that I can take more luggage. / ( Eu irei de carro para que eu possa levar mais bagagens)

So = então

Ex.: I was tired so I went to bed early. / (Eu estava cansada então fui para a cama mais cedo).

Therefore = por consequência

Ex.: The new boots are lighter , and therefore  more comfortable to wear. / (As botas novas são mais leves e por isso mais confortáveis para vestir/calçar).

 

  • Conectivos de condição

Condição de se fazer ou não fazer algo.

If/ if only = se/ se pelo menos

Ex.: We’ll have the party in the garden if the weather’s good. / (Nós teremos uma festa no jardim se o tempo estiver bom).

As long as = desde que

Ex.: My parents don’t care what job I do as long as I’m happy. / (Meus pais não se importam com qual trabalho eu faço,  desde que eu esteja feliz).

Otherwise = senão

Ex.: You should phone home, otherwise your family will be worried. / (Você deveria ligar para casa, senão sua família ficará preocupada).

 

 

Quanto tempo leva para aprender inglês?

Se você pretende estudar inglês ou está no começo do aprendizado, provavelmente já andou pesquisando quanto tempo leva pra aprender o idioma. As respostas para essa pergunta podem te levar a dois caminhos: do conhecimento ou das promessas sem fundamento.

Aprender a língua inglesa e poder se destacar nos estudos e no trabalho, é o sonho de milhares de brasileiros. Infelizmente, muita gente se aproveita disso para vender propostas que, bem lá fundo, você sabe que não fazem sentido. É compreensível que uma chamada dizendo “aprenda inglês em um ano” seja muito atrativa e faça muita gente pagar pra ver, mas cá entre nós, só é enganado quem se deixa enganar!

Quantas pessoas você conhece que iniciaram um curso e pararam no meio do caminho alegando que não estava vendo progresso, ou que perceberam que aquilo não era pra elas? Esse pode ser até mesmo o seu caso! Um dos fatores que levam a essa desistência é a frustração por não alcançar o nível desejado, no tempo que foi prometido.

            Afinal, quanto tempo demora pra aprender inglês?

Nós sempre gostamos de lembrar que a responsabilidade é 50% de quem aprende e 50% de quem ensina, ambos precisam estar comprometidos com os resultados. Existem metodologias capazes de acelerar o processo de aprendizado e o tornar mais eficaz. Em contrapartida, o aluno deve aproveitar ao máximo as aulas e as técnicas que mais funcionam com o seu estilo de aprender.

Por aqui, utilizamos o “Common European Framework” (CERF) – Quadro Europeu Comum de Referência para Línguas – como orientação tanto para nível de proficiência quanto para o tempo estimado para atingir a proficiência em inglês. Confira abaixo:

O CERF foi criado por pesquisadores especialistas em ensino e aprendizagem de língua estrangeira. Este quadro é um padrão internacionalmente reconhecido. Lembre-se que essas são horas aproximadas e que existem variações de acordo com o tempo de exposição ao idioma, qualquer tipo de conhecimento prévio, objetivo do estudo, entre outros.

A dica é: conheça o método na prática. Peça para fazer aulas experimentais, busque a opinião de outros alunos e a reputação da escola. Entenda que este é um investimento que estará fazendo e que perder dinheiro nunca é uma boa ideia.

O mercado de trabalho exige inglês mais do que nunca

Quantas vezes você já se deparou com um anúncio de emprego incrível que exigia competência em inglês? No desejo de preencher uma vaga como esta é que acontece a mentira clássica dos currículos: o “inglês básico”.

O primeiro ponto a ser observado é que esta forma de classificar o conhecimento em outro idioma já caiu em descrédito justamente por, na maioria dos casos, não ser verdade. Outro fato é que as empresas precisam de alguém que consiga aplicar as diferentes habilidades de comunicação no cotidiano no trabalho, logo, o basicão não serve.

Com certeza você sempre ouve dizer que o inglês é diferencial no mercado de trabalho e isso está mais forte do que nunca! O idioma é o mais requisitado pelas companhias, por outro lado, o Brasil não possui profissionais capacitados neste sentido. Confira os dados de duas pesquisas:

Infelizmente nosso país é classificado com “proficiência baixa” em língua inglesa e isso é resultado de diversos o fatores. Dois deles que podemos questionar são: qualidade do ensino e comprometimento de quem aprende. Por isso é tão importante procurar por uma escola qualificada e certificada, que tem compromisso com o sucesso dos alunos. Por sua vez, deve haver reciprocidade do aluno em ter o mesmo empenho em aprender e construir o futuro dos seus sonhos.

Seja parte da mudança no cenário mercadológico e econômico do nosso país, afinal, você tem total capacidade de ser a pessoa ideal que o mercado necessita. Esta é a hora de investir na sua carreira de sucesso como um profissional bilíngue!

Como o seu filho pode aprender inglês?

Você, como adulto, já percebeu que as oportunidades são melhores para quem domina mais de uma língua. Então, como pai ou mãe, você pretende investir no ensino de idiomas para o seu filho. Mas como ocorre o aprendizado? Será que ainda é cedo? A criança realmente consegue aprender? Vamos tirar suas dúvidas!

É comum vermos em tantos outros países que não são de língua inglesa, crianças que antes dos dez anos já dominam o idioma. Enquanto no Brasil, muitos correm atrás depois de precisarem na vida adulta. Não tenha receio, quanto mais cedo seu filho começar, melhor!

Durante a infância os neurônios têm mais facilidade de adaptação à estímulos e às experiências vividas. O sistema nervoso é mais flexível. Este é o momento ideal para tornar o inglês algo comum na vida do indivíduo, tão natural quanto seu idioma nativo. Para isso acontecer, existem recursos que devem ser explorados.

Qual é a melhor forma de ensinar inglês para crianças?

Todo conteúdo que desperta o interesse é mais fácil de ser consumido/aprendido. Isso é ainda mais forte com as crianças! Elas precisam de metodologias especiais, lúdicas e comunicativas para se sentirem motivadas. Vamos listar alguns métodos que utilizamos na nossa escola de idiomas para bebês e crianças, a Little Speech:

  • Inglês com música

Quem nunca presenciou uma criança vidrada em algum desenho musical? A musicalização tem se mostrado muito eficaz para que a criança memorize o vocabulário e se habitue com a sonoridade das palavras. É possível também trabalhar a identificação de objetos, locais, partes do corpo, entre outros.

  • Inglês com atividades criativas

Lápis de cor, massinha, recortar e colar… as atividades “mão na massa” são ótimas para a criança desenvolver frases, pois exigem que o passo a passo seja ouvido, dá abertura para questionamentos e pode envolver uma história para a explicação do projeto. Deste modo, o aluno começa a entender a estrutura das sentenças afirmativas, negativas e interrogativas.

  • Inglês com jogos

Existem dezenas de jogos aplicados estrategicamente por professores que, muito além da diversão, desempenham um papel fundamental no aprendizado. São muito utilizados para reforçar detalhes mais complicados de gramática, por exemplo. Há também jogos online para os pequenos continuarem aprendendo em casa. Neste caso, é sempre bom procurar indicações com os professores, pois saberão dizer quais jogos não apresentam erros e são realmente eficazes.

Se você quiser conhecer de perto como funciona o ensino de inglês para crianças, procure uma escola especializada e peça uma aula experimental!

Já estou na faculdade, dá tempo de estudar inglês?

São muitos os casos de quem não teve a oportunidade de estudar inglês antes de terminar o ensino regular e quando chega na faculdade percebe a necessidade ainda maior de ter o segundo idioma. Isso porque durante a graduação o estudante começa a compreender melhor o mercado de trabalho e percebe que as oportunidades são melhores para quem é bilíngue.

A dúvida quase sempre é se ainda dá tempo de aprender, se vale a pena conciliar os dois estudos, se será um investimento bem feito… Se você está vivendo este dilema, acompanhe os pontos que vamos esclarecer!

  • Aproveite a “época de estudos”

Apesar da faculdade já representar um pé dentro do mercado de trabalho, ainda faz parte de uma época da sua vida em que estará se dedicando aos estudos. Aproveite para iniciar o curso de inglês e não dar chance pro desânimo depois que se formar. Estar vivendo uma disciplina de estudos ajuda muito no processo de aprendizado!

  • Tudo é uma questão de se organizar

Sabemos que a faculdade demanda bastante tempo e atenção, mas com um pouco de organização você conseguirá cumprir todas as tarefas e aproveitar o conteúdo aprendido. Algumas pessoas deixam todo o estudo de idiomas para um dia só, por exemplo, se a aula é no sábado, fazem as atividades na sexta-feira e tudo fica acumulado. É muito mais eficiente distribuir seus estudos durante a semana, mesmo quem tem muito o que fazer consegue encontrar vinte minutos para estudar Inglês. Existem muitos exemplos de alunos nesta mesma condição! O ideal é encontrar uma escola de idiomas que consiga oferecer horários flexíveis e uma turma adequada ao seu nível.

  • Não corra o risco de ficar pra trás no mercado

O ponto mais importante é o benefício que o idioma  terá na sua vida acadêmica e profissional. Como o inglês é uma língua considerada pré-requisito em diversas vagas de emprego, você já estará preparado para ter um bom posicionamento e diferenciação no mercado de trabalho. Então, não tenha medo de começar.  Escolha um curso que te garanta resultados reais e se dedique ao aprendizado. Com certeza, seu teacher será um grande parceiro quando você decidir agarrar os desafios  que envolvam o uso do inglês.

  • Não há tempo certo para aprender

Se lembre sempre que independente do momento, para o aprendizado nunca é tarde. O inglês muda sua perspectiva de vida, te dá mais coragem de desbravar novas oportunidades, novos lugares, além da chance de se comunicar com o mundo. Invista no seu sucesso!

 

 

 

Consigo entender, mas não consigo falar em inglês. O que fazer?

como falar em inglês?

“Até consigo entender, mas quando preciso falar em inglês não consigo criar uma frase sem travar”. Isso te soa familiar?

Tudo bem se você está passando por isso, travar na hora de falar em inglês é mais comum do que imagina, porém, é preciso buscar soluções para aprimorar todas as habilidades de comunicação.

Continue a leitura para conferir as dicas!

Antes de te mostrar como “soltar a fala”, é importante que entenda como ocorre este processo.

Tome como exemplo uma criança que está aprendendo a falar. Inicialmente ela é apenas uma ouvinte e, mesmo que não tenha dito sua primeira palavra, com base nas milhares de informações recebidas, ela é capaz de compreender.

Tudo isso também acontece com quem se propõe a aprender um novo idioma.  É preciso absorver muita informação até conseguir reproduzi-las ou criar novas com base no seu conhecimento.

No caso de uma nova língua, isso significa tentar ler textos, ouvir músicas, assistir a filmes e séries, tudo em inglês. Não menos importante, também preste muita atenção nas explicações do seu teacher, caso já faça aulas.

Se você ainda está dando os primeiros passos nos estudos, a dificuldade em falar em inglês pode ser maior, pois ainda necessita de mais bagagem de conhecimento.

Por outro lado, se isso acontece mesmo depois de um bom tempo estudando, os maiores obstáculos podem ser a insegurança e a falta de prática.

Na verdade, mesmo para quem está começando, treinar o speaking é indispensável. Mas como fazer isso sem ter contato direto com estrangeiros? Siga as dicas:

Não ter com quem conversar em inglês todos os dias não é desculpa

Observe as situações do seu cotidiano e tente sempre imaginar uma resposta que daria no idioma que está aprendendo. É isso mesmo, fale sozinho! Pode parecer bobo, mas esse hábito irá estimular seu cérebro mais do que imagina.

Solte a língua para fala em inglês

Cante alto as músicas que você mais gosta ou repita frases dos filmes e séries. Primeiro, compreenda todo o contexto e depois acompanhe a letra ou legenda, enquanto canta ou fala. Sua pronúncia irá melhorar muito!

Use o máximo de palavras que puder

Quando você esquecer um termo, tente não pensar na tradução, mas sim em sinônimos ou em formas de explicar o significado daquilo que está tentando dizer. Você sentirá exatamente qual é sua necessidade de aumento do vocabulário e ainda treinará seu cérebro a pensar em inglês.

Não tenha medo de falar em inglês com seus colegas de estudos

Já está em um curso de inglês? Aproveite o contato com outras pessoas para comentar assuntos variados! Não se prenda somente ao conteúdo da aula, se arrisque em conversar sobre assuntos que estão em alta no dia, por exemplo. Os professores já costumam incentivar este tipo de atividade, mas você também pode chamar a galera pra uma conversa antes ou depois da aula, por exemplo.

Essas são algumas dicas simples e fáceis de seguir. Existem muitos outros métodos que você pode descobrir para aprimorar seu speaking. O que você não pode deixar de fazer é tentar!

Aqui na Speech, nossas aulas são 100% em inglês para acelerar o aprendizado e aprimorar a pronúncia. Quer fazer uma aula gratuita para nos conhecer? Clique aqui.

A fluência é suficiente para ser um bom professor de inglês?

A demanda por professores de idiomas, principalmente o inglês, vem crescendo junto com a consciência da população brasileira em procurar conhecimento nessa área, visando melhores chances especialmente no mercado de trabalho.

Se você já atua como professor de inglês, muito provavelmente possui um bom nível de fluência na língua. Mas será que só isso é suficiente para ser um bom docente? Já adiantamos que não!

Na mesma medida que há uma grande procura por aulas de inglês, há também a exigência de qualidade no ensino. A urgência em aprender que as pessoas possuem pode representar uma incrível oportunidade profissional para quem pode ensinar.

O ensino de inglês atinge desde crianças até adultos, em colégios de ensino regular, universidades e escolas de idiomas. Com um mercado em ascensão, a competição é certa e não há outra saída: é preciso se qualificar!

Mais do que ter plena compreensão da língua, é indispensável saber transmitir seu conhecimento. Esta pode ser uma grande armadilha, pois de nada vale o trabalho de quem não satisfaz as necessidades dos alunos e, em pouco tempo, os perde.

Então, como você pode melhorar suas aulas de inglês?

A sua desenvoltura como professor é determinante para o seu sucesso profissional e para o sucesso da aprendizagem dos alunos. Para isso, existem algumas atitudes que você pode tomar:

– Esteja atualizado sobre as novas tendências educacionais;

– Seja flexível para atender a demanda de diferentes perfis de alunos;

– Saiba abordar o idioma em diferentes contextos;

– Faça cursos de capacitação na área. Um professor também está em constante processo de conhecimento!

Conheça o Teacher Training Essentials! O curso de capacitação ideal para promover o desenvolvimento profissional e preparar para o exame de Cambridge ESOL – Teaching Knowledge Test (TKT). As aulas são em sistema EAD, para você ter a liberdade de assistir em qualquer lugar e criar seu próprio cronograma. Quer saber mais? Clique aqui!

Business English – Termos utilizados no inglês para negócios

Se você é um empreendedor ou colaborador numa empresa, com certeza já se deparou com muitos termos utilizados no inglês para negócios. Não é à toa que os cursos de business english vêm tendo uma enorme procura.

A língua inglesa está cada dia mais inserida no cotidiano empresarial que, acima de tudo, é globalizado.

Ela aparece em reuniões, negociações, discussão de projetos e até mesmo atividades rotineiras, como enviar um e-mail.

Além disso, existem softwares, programas e plataformas que nem sempre disponibilizam versão em português do Brasil, ou as ferramentas só existem com nomenclaturas em inglês.

Sendo assim, quem tem conhecimento do idioma terá sempre uma vantagem.

Se você reconhece a importância do inglês para negócios e quer se destacar no mundo corporativo, a lista que preparamos é ideal para você!

Confira as 30 palavras mais utilizadas no business english e também em materiais de empreendedorismo disponíveis online.

Você nunca mais ficará com aquela interrogação na cabeça quando ouvir algum desses termos.

Lista de termos termos utilizados no inglês para negócios:

  1. B2B = Sigla de “Business to Business”, ou seja, negócios realizados entre empresas. Por exemplo, quando uma presta serviço para outra;
  2. Benchmarking = É o processo de comparação de produtos ou serviços similares, de forma que possibilite uma empresa “aprender” com a outra e melhorar sua estratégia de mercado.
  3. Brainstorming = Pode ser traduzido como “tempestade de ideias”. Em outras palavras, é uma dinâmica utilizada para que um grupo desenvolva juntos novos projetos ou solucione problemas para a empresa. 
  4. Briefing  = É junção de todos dados e informações necessários para que um projeto seja desenvolvido. Portanto, é a base de um planejamento. 
  5. Budget = Significa “orçamento”. Muito utilizado para determinar o valor que se tem disponível para um projeto, por exemplo.
  6. Call = Ligação telefônica, também utilizada para chamadas de vídeo.
  7. Case = É um acontecimento empresarial, como a criação de um modelo de negócio, um projeto, uma solução e etc. Geralmente utilizado para exemplificar ações que deram certo.
  8. CEO = Acrônimo de “Chief Executiver Officer”, ou seja, “Diretor Executivo”. É o equivalente ao cargo executivo mais alto de uma empresa.
  9. Commodities = Originalmente tem significado de “mercadoria”, mas a palavra é utilizada para designar produtos que são matéria-prima para outros.
  10. Core Business = É, resumidamente, o que a empresa faz de melhor, o “ponto forte” do serviço que ela se propõe a prestar.

Uma pausa para a pergunta: já reconheceu algum desses termos? Se sim, comenta ali embaixo pra gente saber!

Confira mais 10 termas!

  1. Coworking = É um modelo de trabalho colaborativo. Atualmente, existem os espaços de coworking, que são lugares em que diversos profissionais dividem os custos fixos de manutenção para utilizarem como seus escritórios, sem necessidade de trabalharem na mesma empresa ou segmento, por exemplo. 
  2. CRM = “Customer Relationship Management” que significa “gestão de relacionamento com o cliente”.É uma ferramenta utilizada para reunir dados que auxiliam a organizar as ações de boas práticas para se relacionar com o cliente.
  3. Deadline = É a data limite para a entrega de algum trabalho ou projeto.
  4. Delay = Siginifica “atraso”. É usado para indicar o tempo de atraso para entrega de algo, ou para o recebimento de alguma informação.
  5. Downsizing = É uma técnica de “eliminação de burocracia”, uma série de mudanças que tornam as tomadas de decisão mais fáceis, e a organização mais enxuta, mantendo a eficiência.
  6. Endomarketing = Ações estratégicas de marketing voltadas ao público interno de uma empresa.
  7. Feedback = Dar resposta a uma solicitação, pedido ou acontecimento.
  8. Follow up = Realizar o acompanhamento de algo. Quando faz um follow up quer dizer que avaliou, por exemplo, algum processo ou desempenho de colaborador dentro da empresa.
  9. Gap = No contexto econômico de uma empresa, é utilizado para indicar a diferença entre o valor previsto e o valor real de algo, como a produção de um produto. 
  10. Hangout = É basicamente um serviço de bate papo, atualmente relacionado ao Google. Ele tem a função de conectar pessoas e, em empresas, é muito utilizado para videoconferências.

Já passamos da metade! Continue e leitura, pois ainda não acabou!

Veja mais 10 termos relacionados ao business english:

  1. Insight = Uma ideia que soluciona um problema de forma rápida.
  2. Just-in-time = Na tradução literal significa “na hora certa”. É um sistema de administração que procura reduzir estoque e realizar a produção por demanda.
  3. Key Performance Indicator (KPI) = Significa Indicador-chave de Desempenho. São medidas que determinam se o objetivo do negócio foi atingido ou não. Cada empresa possui seus KPIs de acordo com sua missão.
  4. Know-how = Habilidade ou conhecimento para realizar algo, relacionado a um longo tempo de experiência.
  5. Mailing = É utilizada como uma abreviação de “Mailing list”, que significa “lista de correio”, que nada mais é do que uma lista de e-mails, muito utilizada pela área de marketing da empresa.
  6. Networking = Rede de contatos, conexões com outras pessoas que compartilham e se apoiam em serviços ou outro interesse em comum.
  7. PDCA – Plan, Do, Check e Act = “Planejar, Fazer, Verificar e Agir”, é uma ferramenta de qualidade da área de administração, usada para o controle de processos, com foco na solução de problemas.
  8. Joint Venture = União de duas ou mais empresas já existentes com objetivo iniciar uma atividade econômica em comum. Elas decidem se criam uma companhia ou uma associação de todas elas. 
  9. Stakeholders = “Partes interessadas”, são as pessoas que podem ser afetadas de forma direta ou indireta, positiva ou negativamente, por um projeto de uma empresa. São a base do planejamento de estratégias da empresa, principalmente de comunicação.
  10. Turnover = Na área de Recursos Humanos de uma empresa, é utilizado para designar a rotatividade de pessoal, funcionários que entraram e que saíram.

Gostou da lista de termos utilizados no inglês para negócios? Qual deles você já tinha ouvido e não sabia qual era?

É ótimo conseguir entender a aplicação de cada palavra no contexto! Se você quer aprender inglês de forma mais técnica, com foco em situações empresariais, conheça nosso curso de Business English!